Patrícia Jaime: soluções para redução do consumo de ultraprocessados

Quais soluções já existem para reduzir o consumo de alimentos ultraprocessados?

Neste vídeo, a professora titular do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Patrícia Jaime explica quais soluções já existem para reduzir o consumo de alimentos ultraprocessados e por que isso é necessário. “Os estudos epidemiológicos, que são feitos com populações de diferentes países, têm mostrado de forma bastante coerente que quando padrões alimentares são baseados em alimentos ultraprocessados há uma pior qualidade nutricional da dieta dessas populações e há um risco maior para o desenvolvimento de determinadas doenças - em especial as doenças crônicas como diabetes, hipertensão, obesidade, alguns tipos de câncer dentre outras - e também está associada à morte prematura. Frente a essas evidências, diferentes abordagens têm sido pensadas e testadas para reduzir o consumo populacional de alimentos ultraprocessados”, disse.“O desafio de reduzir o consumo populacional de alimentos ultraprocessados requer intervenções que dialoguem com os indivíduos, mas que também sejam estruturais na perspectiva da promoção de ambientes alimentares promotores da saúde”, afirmou. Jaime é vice-coordenadora científica do Nupens/USP e da Cátedra J. Castro/USP (Cátedra Josué de Castro de Sistemas Alimentares Saudáveis e Sustentáveis), um dos parceiros do Nexo Políticas Públicas.

Veja também

Parceiros

AfroBiotaBPBESBrazil LAB Princeton UniversityCátedra Josuê de CastroCENERGIA/COPPE/UFRJCEM - Cepid/FAPESPCPTEClimate Policy InitiativeGEMAADRCLAS - HarvardIEPSJ-PalLAUT