Parceiros

Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos

Sobre o BPBES

A Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES, na sigla em inglês) é uma iniciativa criada em 2015 que congrega um grupo independente formado por cerca de 120 autores, dentre professores universitários, pesquisadores, gestores ambientais e/ou tomadores de decisão. Seu objetivo é produzir sínteses do melhor conhecimento disponível pela ciência acadêmica e pelos saberes tradicionais sobre as temáticas da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos e suas relações com o bem-estar humano, com foco nos biomas continentais do Brasil (Amazônia, Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado, Pantanal, Campos Sulinos) e no costeiro-marinho. Para tanto, promove reuniões setoriais de trabalho com grupos de interesses variados – como representantes do governo federal, organizações não governamentais, empresas, etnias indígenas e jornalistas – com o intuito de compartilhar os principais resultados, debater e ouvir críticas e sugestões. A iniciativa é inspirada na Plataforma Intergovernamental de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES) da ONU, criada em 2012 e que funciona como o “IPCC da Biodiversidade”. A BPBES conta com o apoio financeiro do CNPq e do Programa Biota/Fapesp e tem o apoio institucional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS).

https://www.bpbes.net.br/

contato: contato@bpbes.net.br

Coordenação

Carlos Joly Coordenação geral. É graduado em ciências biológicas pela USP (Universidade de São Paulo). Obteve seu mestrado na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) (1979) e o seu doutorado na Universidade St. Andrews, na Escócia.

Atualmente é membro titular da Academia Brasileira de Ciências, coordenador do programa BIOTA/FAPESP e do sítio Gradiente Funcional da Floresta Ombrófila Densa Atlântica. É professor titular em ecologia vegetal do Departamento de Biologia Vegetal da Unicamp.

Aliny P. F. Pires Coordenação executiva. É bióloga e doutora em ecologia pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Atualmente é professora da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e pesquisadora da BPBES (Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos), onde atua como coordenadora geral do relatório temático “Água: biodiversidade, serviços ecossistêmicos e bem-estar humano no Brasil”. É pesquisadora vinculada à sub-rede Biodiversidade e Ecossistemas da Rede Clima (Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais).

Cristiana Seixas Coordenação executiva. É bióloga e doutora em recursos naturais e manejo pela University of Manitoba, no Canadá, e pesquisadora do Nepam (Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), onde cocoordena o grupo CGCommons (Conservação e Gestão de Recursos de Uso Comum) e o Leme (Laboratório de Manejo e Ecologia de Ecossistemas). Atua na IPBES (Plataforma Intergovernamental de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos) como cochair do Regional Assessments Americas.

Paula Drummond de Castro Coordenação executiva. É pós-doutoranda em divulgação científica e cultural no Labjor-Unicamp (Laboratório de Estudos Avançados de Jornalismo da Universidade Estadual de Campinas). Interessa-se pelas relações que circunscrevem a relação ciência-sociedade. É bióloga, especialista em jornalismo científico e doutora em política científica e tecnológica. É editora do Boletim Interfaces BPBES e do Boletim Biota Highlights, além de coordenadora de comunicação do Genomics for Climate Change Research Center.

Rafael Loyola Coordenação Executiva. É diretor científico da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável, membro da Academia Brasileira de Ciências, bolsista de Produtividade em Pesquisa nível 1A do CNPq e professor do Departamento de Ecologia da UFG (Universidade Federal de Goiás). É autor de mais de 200 publicações científicas, editor para as Américas da revista Biological Conservation e assessor científico de órgãos de fomento internacionais e nacionais.

Pesquisadores

Alice Ramos de Moraes é bióloga, com mestrado e doutorado em ecologia pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). É pesquisadora junto ao Laboratório de Ecologia e Manejo de Ecossistemas e colabora com o CGCommons (Grupo de Conservação e Gestão de Recursos de Uso Comum), ambos no Nepam (Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais) da Unicamp. Suas pesquisas envolvem serviços ecossistêmicos e bem-estar humano.

Cristina Adams é ecóloga humana e professora associada da EACH-USP (Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo). É docente do bacharelado em gestão ambiental na EACH e dos programas de Pós-Graduação em Modelagem de Sistemas Complexos na EACH, de Ecologia Aplicada na Esalq-USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da USP) e de Ciência Ambiental no IEE-USP (Instituto de Energia e Ambiente da USP). É expert na IPBES (Plataforma Intergovernamental da Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos) e na BPBES (Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos). É coordenadora do projeto P/BIO (Povos Indígenas, Tradicionais e Quilombolas. Biodiversidade e Políticas Públicas no Brasil).

José Sabino é biólogo, professor na Uniderp de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, coordenador do Projeto Peixes de Bonito e conselheiro da BPBES (Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos). Trabalha na interface entre ecologia, comportamento animal e conservação, com foco em uso sustentável da biodiversidade.

Ludmila Rattis é bióloga, doutora em ecologia pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), pesquisadora do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, no Brasil, e do Woodwell Climate Research Center, nos EUA.

Manuela Carneiro da Cunha é antropóloga, professora titular aposentada da FFLCH-USP (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo) e emérita da Universidade de Chicago, nos EUA. É membro da Academia Brasileira de Ciências e da Comissão Arns de Direitos Humanos. É membro da Força Tarefa de Conhecimentos de Povos Indígenas e Comunidades Locais (2014-2019) e overall review editor do Global Assessment (2017-2019) da IPBES (Plataforma Intergovernamental da Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos). É organizadora, entre outros, dos livros Direitos dos índios, ensaios e documentos (1987), História dos índios no Brasil (1992) e coorganizadora do livro Direitos dos povos indígenas em debate (2018). É coordenadora do projeto P/BIO (Povos Indígenas, Tradicionais e Quilombolas. Biodiversidade e Políticas Públicas no Brasil).

Philip M. Fearnside é pesquisador titular do Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) desde 1978. Ecólogo, é pesquisador 1-A do CNPq e membro da Academia Brasileira de Ciências. Tem mais de 600 publicações.

Raísa Vieira é bióloga, doutora em ecologia e evolução pela UFG (Universidade Federal de Goiás). É pesquisadora no IIS (Instituto Internacional para Sustentabilidade) e diretora acadêmico-científico da ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos).

Sonia Barbosa Magalhães é antropóloga, com pós-doutorado pela Université Sorbonne Paris Nord (2018). Atualmente é professora associada na UFPA (Universidade Federal do Pará). É docente no bacharelado em desenvolvimento rural, no Programa de Pós- Graduação em Agriculturas Amazônicas e no Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia. É líder do grupo de pesquisa Ação Pública, Sociedades e Ambiente. É coordenadora do projeto P/BIO (Povos Indígenas, Tradicionais e Quilombolas. Biodiversidade e Políticas Públicas no Brasil).

Parceiros

AfroBiotaBPBESCEM - Cepid/FAPESPCENERGIA/COPPE/UFRJCPTEClimate Policy InitiativeDRCLAS - HarvardIEPSJ-PalLAUT