Funções executivas na primeira infância

Da Redação
Montagem com fotos de mãos de crianças mexendo em brinquedos ou na terra. Há filtros laranja e roxo sobre as fotos.
Memória de trabalho e flexibilidade cognitiva estão entre as habilidades que encontram nos primeiros anos de vida seu período sensível de desenvolvimento
  • Cognição infantil

    A compreensão atual sobre cognição infantil respalda a existência de uma ampla gama de competências presentes desde os primeiros meses de vida, substituindo visões anteriores que subestimavam as capacidades da mente infantil. Os bebês são capazes de orientar e redirecionar a atenção de forma seletiva, reconhecer e recordar acontecimentos e já apresentam os primeiros sinais de controle executivo sobre suas ações.

    No campo da cognição infantil, os estudos buscam elucidar as habilidades primordiais ou precursoras que seriam a base para o desenvolvimento posterior das funções executivas. Tais estudos visam ao esclarecimento dos mecanismos envolvidos na maturação de percepções sensoriais, além da compreensão de como as informações são processadas nos primeiros meses e anos de vida. As habilidades básicas de memória, atenção e velocidade de processamento dos bebês vêm sendo especialmente examinadas.

  • Controle inibitório

    Possibilita controlar e filtrar pensamentos, ter domínio sobre a atenção e o comportamento. Conseguir ler um texto, mesmo na presença de barulhos incômodos, é um exemplo de uso dessa habilidade.

  • Flexibilidade cognitiva

    Capacidade de mudar de perspectiva no momento de pensar e agir, e considerar diferentes ângulos na tomada de decisão. Por exemplo, essa capacidade é fundamental para o indivíduo perceber um erro e poder corrigir.

  • Funções executivas

    Funções executivas constituem um conjunto de habilidades que são fundamentais para o controle consciente e deliberado sobre ações, pensamentos e emoções. Elas possibilitam ao indivíduo gerenciar diferentes aspectos da vida com autonomia, isto é, tomar decisões com independência e responsabilidade. É possível considerar três dimensões das funções executivas que, apesar de distintas, são interligadas. São elas a memória de trabalho, o controle inibitório e a flexibilidade cognitiva.

  • Memória de trabalho

    Permite armazenar, relacionar e pensar informações no curto prazo. Sem essa capacidade, por exemplo, o indivíduo não se lembraria do que estava fazendo após ser interrompido.

  • Plasticidade cerebral

    Estado dinâmico natural do cérebro que permite modificações fisiológicas e estruturais, sinápticas e não sinápticas em resposta a alterações de meio.

Bibliografia

Baseado em: Funções executivas e desenvolvimento na primeira infância: habilidades necessárias para a autonomia. Estudo III. Comitê Científico do Núcleo Ciência pela infância. 2016. Disponível aqui.

Leia mais

Parceiros

AfroBiotaBPBESCEM - Cepid/FAPESPCENERGIA/COPPE/UFRJCPTEDRCLAS - HarvardIEPSLAUT

Apoiadores

Fundação Maria Cecilia Souto VidigalFundação Tide SetubalGalo da manhãInstituto IbirapitangaInstituto UnibancoItaú Social