Desenvolvimento na primeira infância

Da Redação
Aaron BurdenEm primeiro plano, uma caixa de giz de cera coloridos. Atrás, uma criança desenhandoCriança desenha com giz de cera
Os primeiros seis anos da criança são uma fase da vida com importância e características próprias. Veja noções que auxiliam o entendimento desse período
  • Adulto de referência

    É o responsável direto por cuidar, fornecer estímulos adequados, educar, amar, impor limites, fortalecer a autonomia e preparar a criança para os desafios e oportunidades da vida presente e adulta. Em geral, são adultos de referência o pai e a mãe da criança, mas, a depender da maneira como cada família se constitui, esse papel pode ser desempenhado por avós, avôs, tios, tias, padrastos, parceiros em casais homoafetivos etc.

  • Crianças

    O ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) considera criança a pessoa de até 12 anos de idade incompletos e determina que é dever da família, da comunidade, da sociedade e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação de seus direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

  • Desenvolvimento

    Construção e aquisição de novas habilidades de forma contínua, dinâmica e progressiva para a realização de funções cada vez mais complexas. O conceito é amplo e engloba o crescimento e a maturação em diversos contextos.

  • Desenvolvimento cognitivo

    Relaciona-se às funções ditas mentais superiores, como a memória, a associação, o raciocínio dedutivo, a capacidade de planejamento, entre outras.

  • Desenvolvimento pleno

    Ao falar de desenvolvimento pleno, considera-se o desenvolvimento de aspectos físicos, emocionais, sociais e cognitivos.

  • Janela de oportunidade

    Período sensível em que a aprendizagem de habilidades ou o desenvolvimento de aptidões e competências se faz de modo mais facilitado. Ou seja, quando a criança é exposta a determinados estímulos, há mais facilidade de desenvolvê-los em sua totalidade.

  • Parentalidade

    Derivado do inglês parenting, o conceito vem sendo utilizado para descrever o conjunto de atividades desempenhadas pelo adulto de referência em seu papel de assegurar a sobrevivência e o desenvolvimento pleno da criança, de modo a promover a sua integração social e torná-la progressivamente mais autônoma.

  • Primeira infância

    Período que abrange os primeiros seis anos completos, os primeiros 72 meses de vida da criança, conforme define o Marco Legal da Primeira Infância (lei n. 13.257/2016).

  • Primeiríssima infância

    Fase que vai até os 3 anos de idade.

  • Rede de apoio

    É o conjunto de relações interpessoais. Dessa rede, a pessoa ou a família recebe apoio emocional, ajuda material, serviços e informações.

  • Sujeito de direitos

    A Constituição Federal de 1988 é o marco de um novo olhar político, pedagógico e social para a criança: ela passa a ser considerada cidadã e sujeito de direitos, e a família, a sociedade e o Estado são declarados responsáveis por garantir, com absoluta prioridade, os seus direitos. O termo “menor” é substituído pela expressão "criança e adolescente".

  • Vínculo

    É a conexão, ligação nata entre indivíduos interdependentes. Segundo Marta Harris (1995) 1 , "vínculo é a capacidade de duas pessoas experimentarem e se ajustarem à natureza uma da outra, desenvolvido por meio da interação amorosa e contínua."

Bibliografia

Baseado em: Guia Primeira Infância em Pauta. Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal. 2017. Disponível aqui.

Leia mais

Parceiros

AfroBiotaBPBESCEM - Cepid/FAPESPCENERGIA/COPPE/UFRJCPTEDRCLAS - HarvardIEPSLAUT

Apoiadores

Fundação Maria Cecilia Souto VidigalFundação Tide SetubalGalo da manhãInstituto IbirapitangaInstituto UnibancoItaú Social